A Nova York Que o Turista Não Vê / The New York that Tourists Do Not See

Sharing is caring!

A Nova York Que o Turista Não Vê / Click Here for English

Você sabia que é possível mergulhar numa praia de águas cristalinas vendo ao fundo o perfil dos prédios de Manhattan?  A Nordeste de Nova York, a costa de Long Island forma várias baías e um canal de águas calmas entre Long Island e o continente.  Nessa região se encontram as “mansões da Costa Dourada”, onde os milionários – em sua maioria industrialistas – no início do século passado construíam as suas casas. Hoje em dia, celebridades como Angelina Jolie e Brad Pitt compraram uma casa ali por aproximadamente US$ 50 milhões.

F. Scott Fitzgerald, um dos maiores novelistas americanos, se inspirou para escrever “O Grande Gatsby” ao ser convidado para uma festa em uma dessas mansões.  Atenção: o filme “O Grande Gatsby” (2013) com Leonardo de Caprio, por sinal um filme visualmente incrível, foi na verdade filmado em uma mansão na Austrália.

DSC02705.jpg

Mansão da Costa Dourada que inspirou F. Scott Fitzgerald a escrever “O Grande Gatsby”. / Mansion of the Golden Coast which inspired Scott Fitzgerald to write “The Great Gatsby”. 

A equipe do blog INstant (Ligia e Jonas) foram convidados por dois amigos que preferem permanecer anônimos (John e Alicia) para um passeio fantástico de barco visitando a costa dourada até a City Island (nas ilhas de Pelham, ao norte de Nova York), caracterizada por tradicionais restaurantes de frutos do mar.  Tivemos um almoço inesquecível incluindo lulas e camarões, mas o mais importante foi a ótima companhia.

No caminho além da Costa Dourada passamos por praias privadas, uma ilha-cemitério histórica onde fica a praia dos ossos, uma ponte rotatória e o farol da rocha de execução e seus fantasmas.

A Hart Island que fica logo em frente a City Island já foi usada como prisão durante a Guerra Civil, instituição psiquiátrica, sanatório de tuberculosos, reformatório e cemitério de indigentes ou mesmo pessoas que não tem condições financeiras de arcar com um funeral. A ilha com apenas 1.6 Km de comprimento guarda mais de 1 milhão de corpos. A praia de Hart Island é conhecida como a praia dos ossos. Os ossos de algumas pessoas que foram enterradas lá há muito tempo estão surgindo na areia da ilha. Um amigo que esteve lá a trabalho confirmou o fato. Atualmente, são enterrados na ilha em media 1.500 mortos por ano e os únicos que trabalham lá são detentos da prisão de Rikers Island (o principal complexo presidiário de Nova York).

A ponte rotatória construída em 1901 e que é a principal ligação entre City Island e outras cidades, está sendo substituída por outra ponte e infelizmente está sendo desmontada.

O farol da Rocha de Execução foi construído em 1850 e guarda muitas lendas. As lendas mais populares contam que no século XVIII o trafego de navios era intenso, a iluminação do farol era fraco e muitos navios batiam na rocha e naufragavam. Também dizem que os ingleses levavam os rebeldes americanos para a ilha onde seriam espancados e muitas vezes executados. A execução era realizada amarrando os rebeldes na rocha durante a maré baixa e deixando que a maré alta os afogasse. Tem gente que fala que os tubarões atacavam os rebeldes antes mesmo da maré subir. Alem disso, pescadores contam que os fantasmas dos mortos continuam por ali, alguns dizem que já os viram. Essas lendas de fantasmas não tem nenhuma comprovação histórica.

A City Island também foi descrita por Oliver Sachs no seu livro “Sempre em Movimento” (2015).  Para quem não sabe, Oliver Sachs faleceu em 2015 aos 82 anos. Ele foi um famoso médico neurologista e autor de vários livros.  Um destes livros (Tempo de Despertar) gerou um filme ganhador de Oscar com Robin Williams.  Oliver Sachs, que trabalhava no Bronx, tinha o hábito de nadar em volta da City Island.  Um dia, nadando, ele viu uma placa vendendo uma casa.  Ele saiu da água e, ainda com o calção pingando, foi até a agencia imobiliária e comprou a casa na hora. Morou ali por vários anos.

Os turistas que visitam a selva de prédios de Nova York as vezes não imaginam que, não muito longe dali, existem praias, barcos, gaivotas, excursões de pescaria e restaurantes típicos onde frutos do mar são servidos sem frescura em uma atmosfera relaxante.  Com certeza, mais um lado de Nova York desconhecido pelo grande público visitante.

DSC02699.jpg

DSC02747.jpg

The New York that Tourists Do Not See

Did you know that it is possible to swim in a pristine beach watching in the horizon the profile of the buildings in Manhattan? Towards the Northeast of New York City, the Long Island coast forms several bays including a channel between Long Island and continent called the “Sound”. In this region you will find the “mansions of the Golden Coast,” where millionaires at the beginning of the last century built their houses. Nowadays, celebrities like Angelina Jolie and Brad Pitt purchased a house over there for US$ 50 million.

F. Scott Fitzgerald, one of the greatest American novelists, was inspired to write “The Great Gatsby” when invited to a party in one of these mansions. A warning: the movie “The Great Gatsby” (2013) with Leonardo de Caprio, by the way a visually amazing movie, was actually filmed in a mansion in Australia.

Gatsby's mansion.gif

Gatsby’s Mansion in “The Great Gatsby” Movie, Australia. 

The team of this blog INstant (Ligia and Jonas) were invited by two friends who prefer to remain anonymous (John and Alicia) for a fantastic boat tour visiting the golden coast all the way to City Island (in Pelham Island Group, north of NY), where there are plenty of traditional seafood restaurants. We had an unforgettable lunch including calamari and prawns, but the most important aspect was the great company.

On the way beyond the Gold Coast we pass by private beaches, a historic island cemetery where is the bone’s beach, a rotating bridge and the Execution Rock Lighthouse and its ghosts.

Hart Island faces City Island and was used as a prison during the Civil War, psychiatric institution, tuberculosis sanatorium, boys’ reformatory and indigent cemetery. The island is only 1.0 mile long but serves as a cemetery for over 1 million bodies. The beach on Hart Island is known as bones’ beach. Some of the bones are now emerging in the sand of the beach. A friend who went there to work confirmed the fact. Currently, 1,500 bodies per year are still buried on the island. The burials are performed by inmates of Rikers Island, the main prison in New York City.

The swing bridge built in 1901 is the main link between City Island and the continent. It is being replaced by another bridge and unfortunately being dismantled.

The Execution Rock lighthouse was built in 1850 and holds many legends. The most popular legend tells that in the 18th century the traffic of ships was intense and the lighting of the rock was weak so many ships crashed there. They also say that the English took the American rebels to the island where they would be tortured and executed. The execution was carried out tying the rebels to the rock during low tide and letting the high tide drown them. Some people say that the sharks attacked the rebels before the tide rose, but to the best of our knowledge there are no sharks in those waters. Fishermen say that the ghosts of the dead are still there, some say they have seen them. However, these legends have never been confirmed historically.

City Island was also described by Oliver Sachs in his book “On the Move” (2015). For those who do not know, Oliver Sachs died in 2015 at age 82. He was a famous neurologist and author of several books. One of his books (Awakenings) generated an Oscar-winning movie with Robin Williams. Oliver Sachs had the habit of swimming around City Island. One day, while swimming, he saw a sign selling a house. He came out of the water and, still in dripping shorts, went to the real estate agency and bought the house on the spot. He lived there for several years.

Tourists visiting the jungle of New York buildings sometimes do not realize that not far away, there are beaches, boats, seagulls, fishing excursions and typical restaurants where honest seafood is served with no frills in a relaxing atmosphere. This is definitely one typical side of New York greatly unknown by visitors.

DSC02738.jpg

Almoçando em City Island.  Having Lunch in City Island. 

 

 

 

 

 

 

One thought on “A Nova York Que o Turista Não Vê / The New York that Tourists Do Not See

  1. What an absolutely wonderful time we had! You two made the entire day so pleasurable and fun, especially when Jonas jumped off the boat!! Hope to see you on your shores really soon… Love the blog!

Leave a Reply