Metade do Mundo / The Middle of the World

Sharing is caring!

A Metade do Mundo / Click Here for English

Aprendemos na escola que a linha do Equador tem latitude zero. Isso significa que na linha do Equador estamos localizados exatamente no ponto onde o mundo se divide entre hemisfério norte e hemisfério sul. Fomos visitar a linha do Equador. Ela é conhecida pelos equatorianos como Mitad del Mundo (meio do mundo).

O primeiro mito que temos que desfazer é que a “linha” do Equador não é bem uma linha, mas sim uma “faixa” com mais ou menos 1 metro de largura.

Se estivermos no Equador durante o solstício ou o equinócio, exatamente ao meio-dia, a luz do Sol fica exatamente perpendicular à linha do Equador. Na prática não se pode ver a sombra de nada ou de ninguém nesse momento.

A gente se perguntou como isso afeta a vida das pessoas? Primeiro, o dia não fica mais curto ou mais longo com a mudança das estações, como acontece em outros lugares. No Brasil e nos EUA no verão anoitece às nove da noite e no inverno às cinco da tarde. A maior variação que se terá no Equador é de 14 minutos. Cá entre nós, é meio depressivo viver o inverno no Hemisfério Norte quando saímos de algum lugar às cinco da tarde e já anoiteceu… e ainda por cima está frio.

Em visita a Mitad del Mundo fizemos várias experiências. Temos que explicar que a “Mitad Del Mundo” é um monumento feito pelo governo de Pichincha para atrair turistas para esse local.   Nesse local você vai encontrar um museu pequeno sobre os indígenas do Equador, uma galeria com obras do famoso pintor Oswaldo Guayasamín, o Museu Geodésico Frances, o Pavilhão do Sol e um Planetário. As medições que os franceses fizeram estavam erradas e ali não é exatamente o meio do mundo.

Jonas na frente do monumento da “Metad del Mundo” estabelecido pelos franceses. / Jonas in front of the Middle of the World monument established by the French.

A área mais próxima da linha do Equador (mais perto da latitude zero) está a aproximadamente 5 minutos de carro da Mitad Del Mundo e se chama Museo Templo Del Sol.   No Museo Templo del Sol há um tour guiado com várias explicações sobre os indígenas e plantas locais, e durante o tour fizemos vários experimentos que eles dizem comprovar que estamos exatamente sobre a linha do Equador.

Na área onde se fazem os experimentos há uma linha vermelha no chão (como em Greenwich). De um lado da linha estamos pisando no hemisfério sul e no outro estamos pisando no hemisfério norte.

Ligia & Jonas um no hemisferio sul e outro no hemisfério norte.

Primeiro fazem uma demonstração com a rotação da água. Na área que fica do lado norte da linha a água gira em sentido horário. Do lado sul a água gira em sentido anti-horário. Cá entre nós… é fantástico você ver o experimento mas não é verdade.  Existem explicações físicas para esse fenômeno, chamado efeito Coriolis.

No segundo experimento eles pedem para que você feche os olhos, abra os braços e tente andar em linha reta sobre a faixa pintada de vermelho. Dizem eles que ninguém consegue… que você sempre acaba indo mais para um lado ou para o outro. Será que se fizermos o mesmo experimento em casa o resultado seria diferente?

Terceiro, você tem que equilibrar um ovo na cabeça de um prego. Eles nos dizem que isso é mais fácil naquela região porque o magnetismo da Terra faz com que a clara e a gema fiquem bem centradas dentro da casca do ovo (?) Oh my! Fizemos a experiência! O grau de dificuldade é o mesmo do que se estivéssemos fora daquela região. Jonas conseguiu equilibrar o ovo. Ligia não 🙁

De qualquer maneira, independente das experiências serem verídicas ou não, vale a pena pela diversão. Como isso tudo faz parte de um museu aprendemos muito sobre a vida dos indígenas e outros povos que ali viveram.   Super recomendamos!

Se quiser mais dicas sobre o Equador, Quito e a Mitad Del Mundo escreva para info@ourinstant.com

 

Museo Templo Del Sol
Ligia e a nossa guia no Museu do Sol. / Ligia and our tour guide at the Sun Museum.
Ligia & Jonas tentando equilibrar o ovo na cabeça de um prego. / Ligia & Jonas trying to balance an egg on the head of a nail.

Ligia e a nossa guia extraindo tinta vermelha de uma flor. / Ligia and our tour guide extracting red ink from a wild flower.

 

The Middle of the World

We learned at school that the Equator has zero latitude. This means that on the Equator we are located exactly at the point where the world is divided between the northern hemisphere and the southern hemisphere. We went to visit the place known by Ecuadorians as Mitad del Mundo (middle of the world).

The first myth to undo is that the “line” of Ecuador is not quite a line, but rather a “band” about 0.6 mile wide.

If we are in Ecuador during the solstice or the equinox, at noon, the sunlight is exactly perpendicular to the equator. In practice you can not see the shadow of anything or anyone at that moment.

We wonder how it affects people’s lives? First, the day does not get shorter or longer with different seasons, as it happens elsewhere. In Brazil and in the United States, for examle, the sunset can happen at 9 p.m. or at 5 p.m., depending on the season. The largest variation in Ecuador is 14 minutes. Between us, it is kind of depressing to live during the winter in the Northern Hemisphere and witness a sunset at five o’clock in the afternoon… and it’s cold.

During our visit to Mitad del Mundo we made several experiments. We have to explain that there are two “Mitads Del Mundo”. The “official one” is a huge monument made by the government of Pichincha to attract tourists to this place. You will find a small museum about the indigenous people of Ecuador, a gallery with works by the famous painter Oswaldo Guayasamín, the French Geodesic Museum, the Pavilion of the Sun and a Planetarium. However, the measurements the French made were wrong and there is not exactly the middle of the world.

The area closest to half the world (closer to zero latitude) is approximately a 5-minute drive from Mitad Del Mundo and is called Museo Templo Del Sol. At the Museo Templo del Sol there is a guided tour with various explanations about the indigenous and local plants. During the tour we did several experiments that they claim prove that we are exactly on the Equator.

In the area where the experiments are done there is a red line on the ground (as in Greenwich). On one side of the line we are treading on the southern hemisphere and on the other we are treading in the northern hemisphere.

Ligia & Jonas – one treading on the South and the other treading on the North.

They first did a demonstration about water rotation. In the area on the North side of the line, the water rotates clockwise. On the South side the water turns counterclockwise. Between us … it’s fantastic to see the experiment but it’s not true. There are physical explanations for this phenomenon, called Coriollis effect.

In the second experiment they ask you to close your eyes, open your arms and try to walk straight on the line painted red. They say that no one can … you always end up going one way or the other. If we did the same experiment at home, would the result be different? It depends only on how much wine we drank.

Third, you have to balance an egg on the head of a nail. They claim that this is easier in that region because the magnetism of the Earth causes the white and the yolk to be well centered inside the egg shell (?) Oh my! We did the experience! The degree of difficulty is the same as if we were outside the Equator. Jonas managed to balance the egg. Ligia did not.

Either way, regardless of whether the experiments work or not, it’s worth the fun. As this is also part of a museum, we learned a lot about the life of the natives and other peoples who lived there. We recommend it.

If you want more tips about Ecuador, Quito and Mitad Del Mundo write to info@ourinstant.com

 

 

 

 

 

Leave a Reply