Um Dia no Lugar Mais Poderoso do Mundo / A Day in the Most Powerful Place on Earth

Sharing is caring!

screen-shot-2016-09-28-at-5-23-20-pm

Um Dia no Lugar Mais Poderoso do Mundo / Click Here for English

Existe apenas um lugar no planeta para onde convergem todos os chefes de Estado pelo menos uma vez ao ano: a Assembléia Geral das Nações Unidas.  Os Presidentes, Primeiros-Ministros e Altezas Reais que conduzem Estados estiveram semana passada no prédio mais bem guardado no mundo.  Para entrar lá dentro, mesmo como funcionário da ONU, é preciso passar por três detectores de metais e umas quatro checagens de identidade e crachá especial por guardas da ONU.  Nenhum presidente entra com seus seguranças armados.  Como a ONU é território internacional, a própria segurança da ONU se encarrega de todos.

Do lado de fora do prédio, o serviço secreto americano e a polícia de Nova York se encarregam de impedir a aproximação de curiosos e vistoriam todos os carros que precisam chegar perto do prédio.  Todas as ruas, por várias quadras em volta do prédio da ONU, ficam impedidas até para pedestres.  Barcos da marinha patrulham o East River, rio nos fundos do edifício sede. Durante a semana, as pessoas que moram perto do prédio da ONU precisam provar que moram ali, mostrando a conta de luz e identidade, por exemplo, para chegar em casa.

Do lado de fora do prédio existe uma multidão de jornalistas, fotógrafos, cinegrafistas e equipes de TV em uma área especial cercada.  É impossível ver uma foto do Presidente Obama saindo do carro para entrar na ONU, por exemplo, porque os carros param atrás de um toldo branco.  No interior do prédio, as amplas vidraças são cobertas por cortinas escuras para evitar atentados contra qualquer autoridade no interior do prédio.  Os telhados dos edifícios vizinhos ficam cobertos por agentes do serviço secreto.  A Assembléia Geral, com capacidade para 1800 pessoas, fica lotada com a população mais poderosa no planeta.  Talvez seja por isso que os seres de outro planeta visitavam a ONU com frequência há algumas décadas atrás.

Os países sentam na Assembléia Geral seguindo um ritual repetido todos os anos.  O Secretário-Geral sorteia o nome de um país (esse ano foi Bolívia) e, a partir disso, os países sentam em ordem alfabética.  Por isso o Brasil sentou-se na primeira fila, incluindo o Presidente, Ministro de Relações Exteriores, Ministro da Justiça e outras altas autoridades.  Por uma tradição da casa, o Brasil é sempre o primeiro a falar, imediatamente após o relatório (resumido) do Secretário-Geral da ONU, seguido do país anfitrião EUA.

É muito curioso ver o deslocamento de vários chefes de Estado, generais, almirantes e realezas pelo interior do prédio, seguidos por um grupo apressado de assessores.  A Assembléia Geral na verdade dura o ano inteiro e tem um Presidente renovado a cada ano.  Esse ano o Exmo. Sr. Peter Thompson, embaixador de Fiji, é o Presidente da Assembléia Geral.  O Sr. Ban Ki-moon, da Coréia do Sul, tem sido o Secretário-Geral da ONU desde 2008 (dois mandatos) e será substituído no próximo ano, ainda não sabemos por quem.

Sem dúvida trata-se de um desfile de poder, vaidades, egos e o show certamente tem as suas imperfeições.  No entanto, é tremendamente importante que o planeta tenha atingido um ponto na sua História no qual todos os seus líderes possam se reunir debaixo do mesmo teto, mesmo que seja apenas uma vez por ano.

Em tempo, a Assembléia Geral é a sala onde nos conhecemos (Ligia e Jonas), portanto um espaço pessoalmente especial para nós.

Obama, US President, speaking at the General Assembly, United Nations 2016. This is his last year at the GA. Source: un.org
Obama, US President, speaking at the General Assembly, United Nations 2016. This is his last year at the GA. Source: un.org
Temer and Ban Ki-moon, holding hands at the General Assembly 2016. Source: Twitter @Planalto
Temer and Ban Ki-moon, holding hands at the General Assembly 2016. Source: Twitter @Planalto

A Day in the Most Powerful Place on Earth

There is only one place on the planet where all the Heads of State converge at least once a year: the United Nations General Assembly. Presidents, Prime Ministers and Royal Highnesses who are Heads of State were present last week within the most guarded civil building in the world.  To get there, even as a UN official, one must go through three metal detectors and about four checks of identity and the special badge by UN guards. No Head of State can enter with their own security and weapons.  As the UN is international territory, the UN Security itself is responsible for all.

Outside the building, the US Secret Service and the New York Police are in charge to provide security, prevent the approach of onlookers and check all cars that need to get close to the building. All the streets are closed for several blocks around the UN building, even for pedestrians.  Navy boats patrol the East River, behind the UN headquarters building.  During the week, people who live near the UN building must prove they live there, showing the energy bill and identity, for example, to get home.

Outside the building there is a crowd of journalists, photographers, cameramen and TV crews in a special fenced area. It is impossible to see a picture of President Obama getting out of the car to enter the UN, for example, because cars stop behind a white awning.  Inside the building, the large windows are covered with dark curtains to prevent attacks against any authority inside the building. The roofs of neighboring buildings are covered by Secret Service agents. The General Assembly, with capacity for 1,800 people, is packed with the most powerful people on the planet. Maybe this is why extra-terrestrials used to visit the UN a few decades ago.

The seating of countries at the General Assembly follows a ritual repeated every year. The Secretary-General draws the name of a country (this year was Bolivia) and, from that, countries sit in alphabetical order. That is why Brazil sat in the front row this year, including the President, Foreign Minister, Minister of Justice and other senior officials.  Due to tradition, Brazil is always the first to speak immediately after the summary report of the UN Secretary General, followed by the US, the host country.

It is very curious to see the displacement of several heads of state, generals, admirals and royalties within the building, followed by a hurried group of advisors. The General Assembly lasts the entire year and has a President renewed every year. This year the Hon. Mr. Peter Thompson, Ambassador of Fiji, is the President of the General Assembly. Mr. Ban Ki-moon of South Korea, has been the Secretary General of the United Nations since 2008 (two terms) and will be replaced next year, we do not know yet by whom.

Indeed, there is power, vanity, egos and the whole show certainly has its imperfections.  However, it is tremendously important that the entire planet has reached a point of its History when all leaders can meet under the same roof, even if it is just once a year.

By the way, the General Assembly is the place where we met for the first time (Jonas and Ligia), and therefore a very special place for us.

Leave a Reply